Crescer rodeado por livros estimula a linguagem e a leitura precoce - Primeiros 1000 Dias

Crescer rodeado por livros estimula a linguagem e a leitura precoce

O bebê que mantém contato com os livros desde o início da vida tem mais chances de obter sucesso nos estudos

Montar um cantinho de leitura para o bebê pode contribuir para o seu sucesso nos estudos anos depois. Segundo um estudo feito pela Academia Americana de Pediatria, crianças que crescem rodeadas por livros têm melhor capacidade de leitura no futuro. Por consequência, sua linguagem e vocabulário são mais amplos.

Os especialistas analisaram as habilidades de leitura em mais de 250 mães e seus filhos de seis meses até completarem 4 anos e meio de idade. As descobertas foram animadoras: eles concluíram que a leitura para crianças pequenas, começando na primeira infância, tem efeito duradouro na linguagem, alfabetização e habilidades de leitura precoce. Tais efeitos acompanham o pequeno até entrar no ensino fundamental.

Cristiana Tolosa, coordenadora pedagógica da Esfera Escola Internacional, explica que o hábito de leitura pode ser estimulado desde o período intrauterino. “A criança, ao longo dos nove meses, pode ser estimulada por meio de conversas, músicas e leituras, que podem ser pensadas de forma mais individual e pessoal”, diz. “A linguagem oral é a primeira forma de estímulo e contato entre mãe e bebê, e pode ser feita pela leitura”, completa.

Michelle Vila-Flor, analista educacional da equipe acadêmica da Maple Bear Canadian School, também afirma que o hábito de leitura deve ser criado o mais cedo possível. “A leitura feita em casa estimula os laços com a família e proporciona um ambiente de leitura no qual a criança, vendo e ouvindo os pais lendo, segue o exemplo”, opina. “Além disso, há o estímulo da linguagem, já que nos primeiros estágios da vida ela a adquire ao ouvir as pessoas a sua volta falando. A leitura ajuda na estruturação e articulação da linguagem das crianças”, reforça.

Leitura é repertório

A leitura é uma das ferramentas que a criança tem para ampliar seu conhecimento de mundo e vocabulário infantil. Além disso, os livros trazem a referência correta da língua, o que será importante durante a sua alfabetização.

As atividades de leitura e compreensão também são instrumentos essenciais para o desenvolvimento das habilidades mais complexas de pensamento. “As crianças, quando em contato com a leitura, são incentivadas a analisar, sintetizar, criticar e aplicar o conhecimento adquirido em diferentes situações. A partir dessas novas experiências, adquirem novos conhecimentos e habilidades”, justifica Michelle.

A leitura na rotina

Para que o hábito da leitura seja criado, deve ser estimulado diariamente. “Criar rotinas e espaços no dia a dia para a introdução do hábito é positivo, como ler sempre antes de dormir, ou em um momento após o jantar, além de novas situações divertidas, como ler à luz da lanterna, ou dentro da cabaninha, em parques e etc. Desperta o interesse e prende a criança naquela situação”, comenta Cristina.

A criança deve ter acesso constante a diferentes tipos de livros, de acordo com a faixa etária: começando pelas opções em tecido maleável, para não machucar; em seguida, oferecer os de borracha, que podem ser levados para a banheira; por fim, os de capa dura reduzem os estragos pelas mordidas de dentes nascendo.

Inicialmente, o que cativa o bebê são os sons, cores, texturas e todos os recursos oferecidos pela leitura que podem estimular os sentidos. Além disso, interagir com o pequeno durante a leitura é forma de estimulá-lo. “O tom de voz e a forma de ler, entonar a voz e falar com o corpo também é importante para o bebê”, acrescenta Cristina.  

Interagir, segundo Michelle, também é forma de estimular a capacidade de percepção, análise e pensamento crítico da criança. Assim, ela interpreta e constrói novas conexões com a sua realidade. Além disso, quando já souber falar, por exemplo, poderá criar novas historinhas a partir do que aprendeu nos livros.

Se você deseja que seu filho ame ler, dê o exemplo. “Pais que leem promovem o interesse nos seus pequenos. Quando se lê em casa, seja de qualquer gênero, cria-se um modelo para que a criança também adquira o hábito”, afirma Cristina. “Estar em um mundo letrado em casa, com grande oferta de livros, gibis e outros tipos de leitura, impulsiona a formação de uma criança que goste daquele ambiente e se sinta confortável nele”, finaliza.

Bibliografia: American Academy of Pediatrics (“Reading with children starting in infancy gives lasting literacy boost”)